Viagem de volta

images (1)

 

Acabei de chegar de viagem, e confesso-me um pouco exausta, mas muito feliz! Foi uma viagem rápida que me pareceu infinita.
Tantas lembranças…

De repente lá estava eu, ouvindo trilha sonora dos filmes de Charlie Chaplin e do nada, embevecida, entorpecida, como em um passe de mágica, embarquei…
Vi-me voltando no tempo em uma velocidade tão surpreendente que nem percebi ao certo o quanto isso durou! Quando me dei por mim, já estava lá!

Eu, criança, em um mundo recheado de memórias, lembranças e muitas histórias. Sentia-me tão feliz! Estava de volta à minha casa de infância, mais exatamente no quintal com seu pomar. Oh! Delícia!
Sol entre as árvores, passarinhada cantando, cachorro latindo, gato miando, eu e meu mundo totalmente infantil, sem problemas, nem maldades.

crianc3a7as-brincando-em-preto-e-branco

Resolvi entrar só para ver se estava tudo no lugar de antes.
E não é que estava?
A casa toda arrumadinha. A cozinha exalava o cheiro de pão fresco assando no forno.
Hummmm … Enchi a boca d´água!

Fui entrando, atravessando corredores, correndo mesmo, quase levando tapetes até que cheguei à sala.
Estava como sempre impecável. Mesa de jantar com toalha de linho branco bordado, e as cadeiras também revestidas em seus encostos com tecido de mesmo padrão.
Um vaso ao centro, repleto de flores, espalhava o aroma da infância.

Fui adiante, de quarto em quarto… Arrumação ímpar!
O meu, com a caminha do cachorro, sobre o tapete, logo abaixo da janela. As cortinas, entreabertas, deixavam à disposição o verde e o ar puro que entrava. De lá eu via o sol nascer!

Lá, na minha viagem  era domingo com certeza, pois papai estava em casa e cheguei a ouvir a vitrola tocando “Sonho de Amor” de Liszt, um de seus preferidos.
Ah! Ali estava ele, sentado em sua poltrona de ler! E lia… Nem os óculos ele usava ainda! Era mesmo a volta à infância!

Saí de lá apressada, queria ver a rua e, em meio à minha alegria, esbarrei em mamãe, ocupada com seus afazeres.
Estava linda! Cheirosa, cabelos pretos, lisos e longos, e já foi logo dizendo: Cuidado, não corra assim, vai cair menina!

Fui até a varanda e logo vi o portão. Queria ver a rua, mas parei, não pude resistir ao perfume e o frescor que vinham das rosas que floriam no jardim de mamãe.
Ouvi barulho, o burburinho da criançada, aí sim, me dirigi ao portão e me deliciei!
Olhei demoradamente a meninada brincando na calçada! E como olhei…

rua

A visão da rua, com árvores, crianças, risadas.
Trânsito? Que nada! A rua de casa, serena, tranquila.
Como nos velhos tempos! Calmaria total!
E, maravilhada, eu me perdia com a visão do horizonte colorido que sem prédios se delineava.

As casas da rua, apenas casas, crianças e árvores!
Tudo estava exatamente igual!
Como antes! Como sempre.
Como ficou na minha lembrança!

Que viagem! Que passeio!
O telefone deve ter tocado, só pode!
Mas qualquer hora, quem sabe ?
Ainda volto e aproveito para brincar um pouco e conversar temas diversos com meus pais, alguns que ficaram sem o final da prosa.
Quem sabe?

fugir

A infância é coisa linda!
Estou aqui no agora, onde o mundo que pulsa está!
No presente e no futuro!
Mas….Quantas lembranças!
Mamãe, Papai, que saudade de vocês!

Eliana Braga

gaivot@
Gaivot@
09/04/16

Anúncios

2 responses to this post.

  1. Parabéns, muito bonito.

    Responder

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: